Jesus conta contigo!
 

MCC do Brasil - Assessor Eclesiástico - Nacional

Pe. Francisco Bianchin (Pe. Xiko).

Carta nº 06 (01/nov/2016).

.

A  Alegria do Amor, Exortação papa Francisco.

Apresentarei, em poucas palavras, alguns pontos, uma breve síntese dos temas abordados pelo papa Francisco na Exortação Apostólica, pós sinodal, sobre a família que começa com um convite e afirmação: "A Alegria do Amor que se vive nas famílias é também o Júbilo da Igreja".

É uma Exortação que supõe ser lida devagar, estudada e refletida nas famílias, nas paróquias e nas instituições educativas.

Precisamos lembrar que a Exortação é fruto de três anos de estudos, e respostas de questionários enviados do mundo inteiro ao sínodo. A Exortação, aliás, como as demais escritas do papa, reveste-se de um estilo muito pessoal, simples, de quem tem uma visão pastoral, sendo acessível aos leitores. Fácil, portanto!

A Exortação Apostólica contém nove capítulos, 260 páginas. No primeiro capítulo o papa fala da família a partir de imagens e fatos bíblicos. O primeiro olhar sobre a família à luz da Palavra de Deus.

No segundo capítulo, aparece uma análise dos desafios, das situações enfrentadas pela família hoje. No terceiro, o papa recorda e mostra, a partir do magistério da Igreja, ensinamentos e dimensões essenciais no matrimônio cristão.

A seguir, no capitulo sexto, encontramos orientações pastorais para construir uma família com fundamentos sólidos e seguros.

Já no capítulo sétimo, o papa trata da criação e da educação dos filhos.

Os últimos três capítulos são dedicados a meditar, refletir sobre a misericórdia. É um convite a considerar, a partir da misericórdia, as situações que nós chamamos irregulares, que não se conformam plenamente com o ensinamento de Cristo.

Merece especial atenção o capítulo VIII, pois aborda o tema dos que se divorciaram ou estão em segunda união.

O capitulo final é dedicado a uma breve reflexão sobre a espiritualidade familiar.

Como na maioria das situações, chama-nos a atenção que alguns quereriam mudar tudo sem suficiente estudo e reflexão, enquanto outros querem apegar-se às leis e normas para explicar tudo.

Outra questão muito importante abordada pelo papa é que "nem todas discussões doutrinarias, morais ou pastorais devem ser resolvidas através de intervenções do magistério”. (Para bom entender isso significa muito!) O fato da necessária unidade doutrinal da Igreja não impede que existam maneiras diferentes de interpretar alguns aspectos da doutrina ou algumas consequências que decorrem dela.

Concluo com a frase do papa: "O casal que ama e gera a vida é a verdadeira viva << escultura>> (não a de pedra ou ouro, que o Decálogo proíbe) capaz de manifestar Deus criador e salvador". (11)

Pe. Xiko, SAC


Carta nº 05 - outubro/2016 - O bem não cansa! - Clicar aqui

Carta nº 04 - setembro/2016 - O segredo para ser feliz. - Clicar aqui

Carta nº 03 - agosto/2016 - Quando virá o dia?. - Clicar aqui

Carta nº 02 - julho/2016 - Nobre missão dos avós. - Clicar aqui

Carta nº 01 - julho/2016 - A violência é um sintoma. - Clicar aqui

 

 

Página Melhor Visualizada em Resolução 800x600 no Internet Explorer
2009 MCCPELOTAS Todos os direitos reservados. Política de privacidade.