O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

Jesus conta contigo!
 

.

Um princípio inesperado e surpreendente

Sérgio Neves - o Cursilhista

 
 

As coisas de Deus são assim. Quando menos a gente espera “o Espírito sopra onde quer” e as coisas acontecem. Desde o princípio foi assim. São João começa o seu Evangelho dizendo: “ No princípio era o Verbo e o Verbo se fez carne e habitou entre nós”. Que início surpreendente e inesperado. Mas a surpresa que eu quero falar para vocês, foi como, onde e porque o Cursilho de Cristandade veio parar em Pelotas.

No final da década de 1969, eu me sentia com muita necessidade de preencher os vazios que existiam em mim. Então estando em Pelotas o Padre Luiz Bender, jesuíta pelotense, fez-me uma visita convidando-me para fazer um curso em Curitiba, o que eu não aceitei. Pouco tempo depois, ele voltou a Pelotas, e renovou o convite. Aceitei então, mesmo sem saber exatamente do que se  tratava, e o que pretendia. Fui a Porto Alegre e juntamente com outros sessenta homens lá nos enclausuramos, inclusive os doze de Pelotas, e também o nosso Bispo, Dom Jaime.

Ninguém queria ir ao Cursilho, mas o Espírito Santo nos escolheu e nós fomos, sem saber o que era, para onde iríamos e nem o que lá faríamos.

Como nós eramos doze e mais Dom Jaime (que ia para conhecer o que era um Cursilho), na volta nós diziamos que eramos os doze apóstolos e mais Jesus Cristo (este era o sr. Bispo conosco).

Mas como deu-se o início, o princípio do Movimento em Pelotas?

Verdadeiramente, o princípio, o início, foi inusitado, surpreendente e inesperado.

Naquela época, havia em Pelotas apenas três cursilhistas que tinham participado de  encontros em outras cidades do país. Assim, o primeiro foi Indú de Miranda  Ferrari, recentemente falecido, e que foi o primeiro homem de Pelotas a fazer um cursilho. Depois foram escolhidos pelo Espírito Santo, o Luiz Carlos Schuch e o Carlos Alberto de Souza Vianna, este também já falecido. Estes dois últimos, foram participar da “clausura” do 6ª Cursilho de Porto Alegre, para nos receber. E ainda à noite, ao término do curso, voltamos juntos num comboio de três automóveis para Pelotas.  Era tanta a empolgação e o ardor apostólico que nos sentíamos como os Discípulos de Emaús: como que um fogo ardia em nossos corações. Combinamos que não nos dispersaríamos ao chegar a Pelotas, e que faríamos uma primeira reunião de grupo, todos juntos, ao redor da estátua de Dom Joaquim Ferreira de Mello, 3º Bispo de Pelotas, alí, no início da Avenida Dom Joaquim. E assim, foi feito. Por volta das 4h e 30 min do dia 7 de setembro de 1969, portanto, de madrugada, quem passasse por alí diria que uma turma de loucos, abraçados, rezavam em alta voz o Pai Nosso.

Assim, nasceu em Pelotas, sob as bençãos de Dom Joaquim, respaldado na oração do Pai Nosso, com o testemunho de amizade de todos nós, o movimento local do Cursilho de Cristandade, que nestes 42 anos de evangelização entre nós, já realizou 87 cursilhos de homens e 87 de mulheres, com a presença de mais de 5.000 cursilhistas. Foi por isso que eu dei a este relato, o título de “Princípio inesperado e surpreendente”, mas não tanto assim, quando a gente sabe que “O Espírito sopra onde quer...”


Nota do site: o 1º Cursilho de Homens de Pelotas, ocorreu no período de 29 de outubro a 1º de novembro de 1971. (...mais informações clique aqui!)


.

.

 
Página Melhor Visualizada em Resolução 800x600 no Internet Explorer
2009 MCCPELOTAS Todos os direitos reservados. Política de privacidade.